VISITA À EMPRESA ESPAÇOS VERDES COMPROVA AS DIFICULDADES DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

DSC03772A visita realizada pelo Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda realizada ontem de manhã ao Garden Center da empresa Espaços Verdes, no Alvito, comprovou a necessidade de serem tomadas medidas urgentes de apoio ás micros, pequenas e médias empresas.

A delegação do BE foi composta pelas deputadas Catarina Martins e Ana Drago, pelo deputado municipal Ricardo Robles, DSC03773eleito na Assembleia de Freguesia de Alcântara, Vitor Sarmento e ainda por outros activistas do BE.
O arquitecto António Alho, enquanto dono da empresa, recebeu e guiou a delegação por este espaço,  onde estão guardadas milhares de plantas ( muitas delas em estufas) e onde se encontram as oficinas e a maquinaria usada nas suas obras.

Algumas importantes informações sobre DSC03771esta situação em concreto mostram a necessidade de rapidamente ocorrer uma inversão nas politicas para as micro e PMEs.
Alguns exemplos:
1. Por falta de trabalhos, esta empresa reduziu nos últimos 5 anos três quartos dos trabalhadores, tendo passado de 100 para 25;
2. Os juros anuais que pagam à banca sobre contas caucionadas e outras situações, é superior ao que a empresa paga por ano  a DSC03776uma equipa de técnicos altamente especializados;
3. O arquitecto António Alho explicou ainda as práticas bancárias de tentativa de redução dos montantes de contas caucionadas e a quase impossibilidade das empresas recorrerem ao credito;
4. Foi ainda possível ver  as instalações que durante vários anos foram uma Escola de Formação para esta área de trabalho e que agora estão inactivas.

Nas declarações prestadas aos  jornalistas no final da visita, Catarina Martins referiu algumas das propostas que o BE está a preparar para apresentar no Parlamento.

Referiu que as MPME representam 75% da mão de obra nacional e a que tremenda dificuldade imposta pela banca no acesso ao crédito está a liquidar milhares de empresas. Referiu também que  o BE entende que o relançamento da economia depende do investimento e que sem ele não há retoma, denunciando que  as taxas de financiamento exigidas pela banca nacional tornam  impossível as MPME efetuarem esses mesmos investimentos.
Assim o BE irá  propor a utilização dos 6,4 mil milhões de euros existentes no fundo de recapitalização dos bancos para financiar as MPME,  bem como um limite na taxa de juro total praticada nos financiamentos ao tecido empresarial nacional, não permitindo taxas superiores a 50% da média da zona Euro.

Estas e outras propostas estarão no centro do debate que o BE organiza no próximo sábado, dia 9 de Fevereiro, no Hotel Flórida, em Lisboa, a partir das 14,30 horas e para o qual estão convidados a estarem presentes todos os empresários/ empresárias  e todas as pessoas preocupadas com esta temática.

Sobre blocoalcantara

BE Alcântara
Esta entrada foi publicada em Sem categorias. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s